O que é resiliência e como desenvolvê-la

Resiliência

Ultimamente, muito se tem falado de resiliência. Mas, afinal o que é a resiliência e como podemos desenvolvê-la?

A palavra resiliência deriva do latim, resilire – significa recuar ou dar um passo atrás. O termo foi originalmente utilizado na física para caracterizar a capacidade de um material de suportar grandes e diferentes tipos de pressão.

Portanto, é a capacidade de um material suportar mudanças bruscas e extremas sem se alterar ou de recuperar a sua forma original. Logo, refere-se à propriedade de um material resistir a pressões sem se alterar, ou de sofrer desgaste e mesmo assim se reconstruir voltando à forma original.

No âmbito do desenvolvimento pessoal o conceito é utilizado para caracterizar a facilidade de ajustamento a mudanças. Ou seja, é a aptidão de superar problemas e dificuldades ou de enfrentar situações adversas, sem que isso afecte a pessoa ao nível psicológico, emocional ou físico.

Existem muitas definições de resiliência

Então, Resiliência é a capacidade de lidar com as adversidades, adaptar-se à mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão sem entrar em colapso psicológico, emocional ou físico, e de procurar soluções para enfrentar os reveses.

Mas há muitas e diferentes definições de resiliência.

Togage e Fredrickson, definem a resiliência como a capacidade de recuperar de experiências emocionais negativas e de adaptação flexível às necessidades de mudança das experiências stressantes.

O que aprecio nesta definição é, sobretudo, a referência à flexibilidade para experimentar diferentes estratégias adaptativas. Esse é uma aspecto realmente importante da resiliência. Podermos usar diferentes abordagens para corresponder às exigências de qualquer que seja o factor de stress ou desafio.

A Universidade da Pensilvânia tem uma definição ligeiramente diferente. Eles definem a resiliência como a capacidade de recuperar da adversidade e de crescer a partir dos desafios. Portanto, ser resiliente é ter a capacidade para resistir à pressão de situações adversas. É ser capaz de enfrentar ameaças sem entrar em colapso psicológico, emocional ou físico. É saber procurar soluções estratégicas para enfrentar os reveses.

Assim, a resiliência psicológica é a habilidade de enfrentar problemas, adaptar-se a mudanças e superar os obstáculos.

É ser-se capaz de lidar com fontes significativas de stress como, por exemplo, problemas familiares e de relacionamento. Ou conseguir enfrentar situações de tensão no ambiente de trabalho ou problemas financeiros. É ter capacidade de adaptação face aos contratempos, perdas, problemas de saúde graves ou tragédias.

Da mesma forma que há diversas definições do que é resiliência também há múltiplas formas de desenvolvê-la.

A resiliência é algo que pode ser aprendido

A investigação científica demostrou que a resiliência não é algo inato ou extraordinário, mas comum. Ou seja, não é um traço de personalidade que algumas pessoas têm e outras não.

A resiliência envolve comportamentos, pensamentos e acções. Tudo habilidades que podem ser aprendidas e desenvolvidas por qualquer pessoa.

Ser resiliente não significa que a pessoa não sinta dificuldades e frustrações, ou não sofra reveses ou desafios. Em primeiro lugar, a dor emocional e a tristeza são comuns a todas as pessoas. De facto, o caminho da resiliência provavelmente envolverá sofrimento emocional considerável. Mas a pessoa resiliente, não baixa os braços.

Em muitos momentos da nossa vida, quando surgem obstáculos no caminho, pode parecer mais fácil baixar os braços. Pode parecer melhor aceitar a derrota em vez de mobilizar recursos para continuar a lutar. Mas, quem é resiliente não se resigna. Reúne as forças, internas e externas, para procurar soluções e repor a ordem dentro de si, apesar do caos exterior.

Então, como desenvolver a resiliência?

Não se “nasce” resiliente! Esta é uma característica que se desenvolve ao longo da vida.

É estimulada a partir das várias interacções que o indivíduo experiencia. Ou seja, dentro dos diversos círculos em que está inserido – família, escola, cultura, meio social, etc. Qualquer pessoa pode melhorar e desenvolver as habilidades inatas relativas a cada um dos princípios de construção de resiliência.

Ela pode ser vista como uma interacção complexa entre determinadas características dos indivíduos e o meio envolvente. Além disso, podemos treinar a força interior através de estratégias e técnicas específicas.

Em conclusão, a forma como gerimos os momentos mais difíceis das nossas vidas define, muitas vezes, o futuro. Isto é, a nossa capacidade futura de lidar com potenciais eventos traumáticos.

No próximo artigo, vou abordar as variáveis que contribuem para aumentar a resiliência.

Apoie-se nessa informação para identificar os recursos que já tem e os que precisa de desenvolver para se tornar mais resiliente.

Neste episódio do Podcast também abordo o tema da resiliência e como é que podemos desenvolvê-la.

Se gostou destes conteúdos, deixe o seu comentário abaixo. E se sentir que alguém pode beneficiar deles, por favor, partilhe.

Ajude-me a ajudar quem precisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.