Maturidade Emocional

A maturidade emocional caracteriza-se pela manifestação de competências para lidar com as adversidades da vida. É a capacidade para alinhar pensamentos e emoções. O exercício de habilidades de inteligência emocional como:

  • autoconsciência;
  • autocontrolo e
  • automotivação.

A maturidade emocional está relacionada com a resiliência

Maturidade emocional também tem a ver com resiliência. É a aptidão para ganhar tolerância às frustrações. De superar os revezes inevitáveis a que todos estamos sujeitos. Responder com inteligência e maturidade emocional implica enfrentar e ultrapassar as adversidades. Ou seja, agir com responsabilidade, sem culpar terceiros pelo que aconteceu ou pelo que se sente.

Ter poder de encaixe para suportar os desaires e absorver os golpes da vida não significa não sofrer com eles. As pessoas emocionalmente maduras também se irritam. Simplesmente usam a raiva como motivação para a mudança positiva. Ser emocionalmente maduro é ser capaz de lidar com os desafios e libertar-se, tão depressa quanto possível, da tristeza ou do ressentimento que estes possam ter causado.

Maturidade emocional envlve ter consciência social

Em primeiro lugar, a maturidade emocional envolve consciência social, empatia e competência para se relacionar com as pessoas em todos os ambientes. Em segundo lugar é a capacidade de evitar ou mediar conflitos. Ou seja, ter apetência para criar relacionamentos positivos e saudáveis. Em terceiro lugar, a pessoa mais amadurecida procura evoluir também social e moralmente. Finalmente, isso leva-a a agir com equidade, afabilidade, compreensão e gentileza.

O crescimento emocional é um processo evolutivo e, por isso mesmo, interminável. Por outras palavras, somos todos obras em construção. O nosso progresso só é possível através de autoconhecimento, autorregulação e consciência social. Assim, agir com inteligência e maturidade emocional requer experiência. Tal como tantas outras competências, é necessário aprendizagem, apoio e prática.

Maturidade é reconhecer e aceitar a nossa vulnerabilidade

Em conclusão, para que haja paz e harmonia interiores, é importante termos presente a nossa condição de seres humanos. Reconhecer e aceitar a nossa vulnerabilidade, é uma prova de maturidade e coragem. A maturidade emocional é a manifestação das competências de inteligência emocional. Saber se colocar perante as circunstâncias, sem se vitimizar. Não se culpabilizar nem culpar outros, é o primeiro passo para sair do modo de sobrevivência e ter uma vida mais plena, realizada e feliz.

2 Responses

  1. Maria do Céu Arsénio Balé

    Olá Ana ! Este artigo é fantástico porque está muito claro é fácil de entender – no meu caso só preciso de me disciplinar para o recordar.
    Muito obrigada por me ajudar nesta tarefa de reconhecimento do meu EU mais espiritual que andava perdido.
    Abraços

    • Ana Paula Vieira

      Olá Céu, Obrigada pelo seu comentário.
      Sim, basta que sejamos mais autoconscientes dos nossos pensamentos e emoções para começarmos a fazer as mudanças positivas que desejamos para termos uma vida mais plena de sentido e mais feliz. Tendo autoconsciência é mais fácil regularmos os nossos pensamentos e emoções, e por inerência, os nossos comportamentos e atitudes.
      Um abraço e até breve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.