fbpx

    Li e Aceito a Política de Privacidade.

    Marcação

    Entre em contacto directo comigo para marcar uma sessão presencial (em Alfragide, Lisboa) ou online. A data indicada no formulário é apenas uma data da sua preferência, não a definitiva. Irei entrar em contacto para agendamento, tendo em conta a preferência que indiciou.

    Telefone:
    918 762 620

    Envie um email:
    contacto@anapaulavieira.pt

    Fazer o luto com Mais Amor do que Dor

    2 semanas atrás · · 0 Comentários

    Fazer o luto com Mais Amor do que Dor

    O luto é algo que nos transforma, por vezes de formas nunca imaginadas. Além disso, ninguém está imune à perda. E, embora a dor seja inevitável, é possível fazer o luto com mais amor do que dor.

    O luto é a resposta natural à perda

    Quando perdemos alguém que nos é querido ou coisas que eram valiosas ou amadas, é normal e natural sentir dor, pesar e tristeza. O processo de luto é natural e necessário para que a recuperação emocional ocorra e se faça a adaptação à nova realidade de forma saudável. Mas quando os sentimentos dolorosos do luto assumem o controlo da nossa vida, começamos a sentir-nos desalentados, desesperançados e impotentes para prosseguir com a nossa vida.

    O luto é complexo e é uma transição de vida significativa com impacto pessoal e social. Ao nível pessoal afecta o estado emocional, cognitivo e físico, e repercute-se nas outras as áreas da vida: familiar, social, profissional, religiosa e cultural; mas também é uma transição de vida marcante, quer devido à experiência dolorosa de quebra de um vínculo emocional significativo como à perda de uma parte relevante da própria identidade.

    Cada luto é único como a impressão digital

    Cada pessoa vivencia o luto de forma diferente dependendo de inúmeros factores, desde o meio em que está inserido e as próprias circunstâncias da perda em si. Tudo pode ter impacto e influenciar a forma como agimos e enfrentamos os nossos lutos. Uma parte importante do processo de cura é aceitar e permitir-se sentir todas as emoções que surgem devido à perda.

    Aceite os seus sentimentos. A perda, por vezes, desencadeia uma avalanche de emoções e sentimentos, muitas vezes antagónicos e, geralmente muito intensos. Não deve varrer os seus sentimentos para debaixo do tapete. Permita-se sentir tudo o que surgir e saiba que tudo isso é normal e natural num processo de luto sadio. Por outro lado, também é preciso voltar a vislumbrar as coisas boas da vida, por menores que sejam.

    Dê tempo ao tempo para o luto com mais amor do que dor

    O luto é algo profundamente perturbador e é absurdo esperar estar em condições de voltar à azáfama do dia a dia após algumas semanas ou meses. É absurdo querer forçar-se a recuperar o mais cedo possível da sua perda. Deixe que o tempo faça o seu trabalho respeitando o seu ritmo. Procure encarar o luto como um processo, um ciclo. Ele pode durar bastante tempo, mas a dor não será sempre intensa. Alguns dias serão melhores do que outros. Viva um dia de cada vez, respeitando sempre o seu ritmo, com amor.

    Evite comparar a sua perda ou a sua recuperação a outra pessoa. A vida e as circunstâncias de cada pessoa e a natureza da sua perda são únicas como a impressão digital. O que significa que mesmo que os detalhes circunstanciais pareçam semelhantes, comparar o seu luto é o mesmo que comparar maçãs e com laranjas. A única coisa que têm em comum é serem ambas frutos.

    Aquilo a que resistimos, persiste.

    Outro aspecto importante para que o luto seja vivenciado com mais amor do que dor é acolher todas as emoções. Aquilo a que resistimos, persiste, ou seja, tentar evitar emoções difíceis só as torna mais fortes a longo prazo.

    Ao aproximarmo-nos deliberadamente de emoções difíceis como a tristeza, podemos treinar o nosso cérebro para nos tornarmos mais confortáveis com elas. E embora a dor do luto esteja sempre presente, é muito mais fácil de enfrentar e suportar quando não estamos sobrecarregados com medo, vergonha, frustração, e todo o tipo de outros sentimentos difíceis que podem surgir.

    Em suma, não há problema em sentir o que quer que surja quando se está de luto. Apesar de muitas das emoções que sentimos serem difíceis ou mesmo dolorosas, é importante reconhecer e validar todas elas como legítimas e naturais.

    O luto saudável significa abraçar com compaixão e compreensão toda a gama de emoções que ele contém. A partir da aceitação é possível crescer a partir da experiência de perda, com mais amor do que dor.

    Neste episódio do podcast partilho um pouco da minha história e como usei a minha experiência de luto para iniciar este movimento de sensibilização para a temática do luto.

    A perda e o luto é algo que nos toca a todos, mais cedo ou mais tarde.

    Neste episódio eu falo do movimento que criei e intitulei Mais Amor do que Dor que se destina a apoiar pessoas em luto ou servir de guia a quem queira apoiar alguém que esteja de luto.

    Deixe o seu comentário. Adoro saber como as minhas mensagens estão a ser recebidas.

    Do meu coração para o seu, mais amor do que dor

    Tags: , , , , , , , , , , , , Categorias: Desenvolvimento Pessoal, Inteligência Emocional, Luto e Perdas

    Ana Paula Vieira

    Ana Paula Vieira

    Coach, Conselheira de Luto e Hipnoterapêuta, e ajudo pessoas que desejam alcançar equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, a gerir as suas emoções com eficácia para que tenham uma vida mais plena, gratificante, alinhada com os seus valores, intencional e feliz. A felicidade constrói-se de dentro para fora. Vem aprender a ser feliz!

    Deixe uma resposta

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    Feito com ♥ por Ana Paula Vieira
    Conteúdos da autoria de Ana Paula Vieira. Todos os direitos reservedos
    error: Content is protected !!