fbpx

    Li e Aceito a Política de Privacidade.

    Marcação

    Entre em contacto directo comigo para marcar uma sessão presencial (em Alfragide, Lisboa) ou online. A data indicada no formulário é apenas uma data da sua preferência, não a definitiva. Irei entrar em contacto para agendamento, tendo em conta a preferência que indiciou.

    Telefone:
    918 762 620

    Envie um email:
    contacto@anapaulavieira.pt

    Amor, compaixão e gratidão.

    3 anos atrás · · 0 Comentários

    Amor, compaixão e gratidão.

    Já alguma vez se viu numa situação em que sentir amor, compaixão e gratidão lhe pareceu impossível?! Talvez lhe apetecesse fazer muita coisa, excepto agradecer e muito menos perdoar! Em momentos em que nos debatemos com emoções intensas, a última coisa que queremos é ouvir alguém dizer-nos para esquecer. Emoções como raiva ou vergonha surgem com um propósito que não é o perdão imeditato ou algo que o valha! Então, como sentir amor, compaixão e gratidão quando isso é tudo o que menos lhe apetece?!

    Muitas vezes “é pior a emenda do que o soneto”!

    Há uma razão pela qual é tão irritante ouvir alguém dizer para sermos benevolentes e gratos quando estamos zangados. É porque estar irritado é um estado totalmente diferente daquele em que sentimos amor, compaixão ou gratidão. Na verdade, se se está irritado ou frustrado, há um motivo válido para isso! E, amor, gratidão ou compaixão não fazem esse motivo simplesmente desaparecer!

    Todavia o amor e a compaixão podem realmente conduzí-lo a um estado em que as razões que o levam a sentir essas emoções intensas, perdem importância. Mas o maior erro está no não reconhecimento das emoções experienciadas. Quando aprender reconhecer as suas emoções e a trabalhar com elas em vez de contra elas tudo se torna mais fácil. Ao fazê-lo vai mudar as suas reacções aos eventos, exercitar os “músculos” da resiliência e, independentemente do que os outros digam ou façam, torna-se muito mais fácil lidar com pessoas e situações desafiantes. Não é o que os outros fazem ou dizem que nos causa mal-estar! O que nos causa mal-estar são os pensamentos que tecemos a partir dessas circunstâncias e a incapacidade para gerir as emoções.

    O que causa mal-estar são os pensamentos acerca das circunstâncias.

    Não podemos mudar os outros, mas temos o poder de mudar a forma como agimos ou respondemos. Os nossos estados emocionais são o resultado dos nossos julgamentos acerca dos acontecimentos ou das nossas circunstâncias. Assim, quando aprender a mudar as suas reacções às coisas, independentemente do que lhe façam ou digam, torna-se mais fácil lidar com as situações e encontrar soluções para os desafios, a partir de um estado de paz e tranquilidade.

    Quando for capaz de identificar e regular habilmente as suas emoções, poderá funcionar eficazmente na presença de emoções intensas (as suas e as dos outros), em vez de ser dominada ou derrubada por elas.

    Uma vez instalado o hábito de se manter num estado mais pacífico, irá descobrir como se torna muito mais fácil lidar com pessoas e situações “difíceis”. Em conclusão, ao mudar o seu estado de frustração para um estado de tranquilidade, pode melhorar o seu ambiente, tanto no trabalho como em casa.

    Tags: , , , , Categorias: Gestão emocional, Inteligência Emocional

    Ana Paula Vieira

    Ana Paula Vieira

    Coach, Conselheira de Luto e Hipnoterapêuta, e ajudo pessoas que desejam alcançar equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, a gerir as suas emoções com eficácia para que tenham uma vida mais plena, gratificante, alinhada com os seus valores, intencional e feliz. A felicidade constrói-se de dentro para fora. Vem aprender a ser feliz!

    Deixe uma resposta

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    Feito com ♥ por Ana Paula Vieira
    Conteúdos da autoria de Ana Paula Vieira. Todos os direitos reservedos
    error: Content is protected !!